Filosofia de Trabalho

Desde pequena Carolina já era conhecida no condomínio em que vivia como a “menina dos gatos” pois era ela quem alimentava e protegia os gatos que moravam nas áreas comuns. Conviveu desde cedo com animais de todas as espécies e já colecionava livros de raças de cães e gatos, comportamento e adestramento. A médica veterinária vê todos os animais como seres que compartilham do planeta com os humanos, que vieram ao mundo para nos ensinar e também para aprender conosco. Para ela, os cães, gatos e diversos outros seres com quem dividimos nossos lares são parte da família. São animais, mas não são piores nem melhores que nós. Têm diferentes necessidades, formas de ver o mundo, de se comportar, sentem emoções e têm enorme sensibilidade, tanto que muitas vezes nos surpreendem com o carinho e amor incondicional por nós, seus tutores.

Carolina preza acima de tudo a ética e a responsabilidade perante seus pacientes e clientes. O objetivo de seu trabalho é, através da sua dedicação caso a caso, restaurar os valores do relacionamento do antigo médico de família (que era a pessoa em quem a família confiava e que passava de geração em geração) e trazer estes valores para a área de medicina veterinária comportamental. Pretende construir esse vínculo através do olhar de cada cão ou gato como um ser único e com características subjetivas e individuais, observar cuidadosamente cada família com suas múltiplas facetas e limitações, buscar incessantemente pelas melhores medidas de prevenção, pelo tratamento mais adequado às necessidades de todos e se encaixando nas limitações do cliente e paciente, e melhor forma de transmiti-los para os tutores. A confiança para Carolina é fundamental para a construção de um laço forte, que deve ser construído e reconstruído constantemente por ambos os lados da relação.